quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

doce solidão (8)

A solidão é minha companheira. O silêncio, meu conselheiro e sou viciada em tédio. Só não entendo porque sou obrigada a dizer coisas felizes... (ai que ta, não sou). Mas digo! Deve ser para não assustar as pessoas. Para não afastá-las com meus pensamentos deprimentes. Para, só então, me sentir menos solitária e não ficar com todo esse silêncio que me assusta.
É o peso de carregar um sentimento só seu. Inexplicável para si. Inexistente para os outros.

2 comentários:

ωαℓ Bezerra disse...

Inexplicável para si. Inexistente para os outros....

Acredito que não somos felizes, temos momentos felizes, e neles eu acredito! porque são simples, ingênuos e verdadeiros, o problema é esperamos essa tal felicidade eterna, e nessa busca, perdemos a chance de viver lindos momentos felizes da vida, como apreciar um pôr-do-sol!



Lindo texto.... como sempre

Steres disse...

São textos produzidos nesses intervalos entre um momento feliz e outro. ;) Obrigada!

Postar um comentário